Histórico

Como falar de Ielmo Marinho se não falarmos um pouco de seu contexto histórico dentro do Rio Grande do Norte. A antiga população de Poço Limpo está localizada no agreste norte-riograndense, desde seus primórdios já detinha sinais de progresso devido suas terras serem boas para a produção agrícola e para a pecuária, pois está situado às margens do Rio Potengi.

Ao longo de sua história, o povoado de Poço Limpo fez parte de vários municípios tais como Natal, Macaíba, São Gonçalo do Amarante e São Paulo do Potengi, onde sua emancipação se deu por meio da lei nº 2.909 de 27 de agosto de 1963, onde desmembrou de São Paulo do Potengi e passou a se chamar de Ielmo Marinho.

A decisão de escolher o nome Ielmo Marinho, vem a ser uma homenagem a um ilustre filho da terra, muito querido na localidade, que durante muitos anos dedicou-se á comunidade. O nome do município foi proposto pelo deputado Manoel Gurgel, em homenagem a um jovem líder desaparecido aos 25 anos. Sofrendo de doença incurável, desde os oito anos, Ielmo Marinho de Queiroz, percorria a cavalo o território, desenvolvendo invejável campanha no plano assistencial.

Segundo o censo de 2010 do IBGE, Ielmo Marinho tem uma população total residente de 12.171 habitantes, dos quais 6.276 são do sexo masculino e 5.895 do sexo feminino, sendo que 1.545 vivem na área urbana e 10.626 na área rural. Sua taxa de urbanização é de 12,7%, o que classifica Ielmo Marinho como um dos municípios menos urbanizado do estado. A densidade demográfica é de 39,01 hab/km². Possui 3.349 domicílios permanentes. Sua população residente de cor branca é de 2.975 pessoas; 202 de cor preta; 63 de cor amarela; e 8.931 de cor parda, e desse total 8.027 são alfabetizadas.

Com base no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), de Ielmo Marinho no censo de 1991 era de 0,458, de acordo com o último resultado do censo divulgado em 2011, o município obteve um aumento significativo, atingindo 0,590. O índice varia de zero até um, sendo considerado dessa forma, um índice mediano a nível nacional.

O município tem uma extensão de 313 km², está localizada na mesorregião do agreste Potiguar e na microrregião agreste potiguar, limitando-se com os municípios de Bento Fernandes, Taipu, Ceará-Mirim, São Pedro, Macaíba, São Gonçalo do Amarante e Santa Maria. Sua distância em relação a capital é de 48 km e seu acesso à sede do município é realizado pela RN 064 que interliga com a BR406 e a IEM 030, que liga com a BR 304, dando acesso a municípios do estado.

O catolicismo é a religião predominante na região, existindo ainda o protestantismo em suas várias ramificações e adeptos de cultos africanos. O padroeiro é São Raimundo, e sua festa acontece no dia 31 de agosto. Além da Matriz, existem várias capelas espalhadas no interior do município.

Em relação a sua economia o município tem uma população economicamente ativa, principalmente no setor primário com pequenos sítios agrícolas, extrativismo vegetal e uma pecuária extensiva. No tocante da agricultura vale ressaltar a produção de cana de açúcar e em especial a produção de abacaxi, deixando Ielmo Marinho entre os maiores produtores do RN. Já as cerâmicas, a fabricação de confecções e a produção de leite bovino movimentam o setor secundário do município.

O artesanato local por meio dos recursos naturais do município como as fibras vegetais do sisal e do abacaxi, a madeira, o barro entre outros dão ao local um desenvolvimento no contexto cultural, além dos festejos típicos, causo e das provas de seus trovadores locais.

Ielmo Marinho possui um clima tropical chuvoso, verão seco e estação chuvosa adiantando-se para o outono, com período chuvoso de abril a junho, temperatura média anual em torno de 27,0ºC e umidade relativa média anual de 72%. Quanto à formação vegetalno município, a Caatinga é o bioma que predomina.

A sua vegetação característica é a Hipoxerófila de clima semi-árido apresenta arbustos e árvores com espinhos e de aspecto menos agressivo do que a Caatinga Hiperxerófila. Entre outras espécies destacam-se a catingueira, angico, juazeiro, braúna, marmeleiro, mandacaru, umbuzeiro e aroeira. De acordo com a última pesquisa realizada pelo IDEMA em 2008, os solos predominantes da região são: PlanossolSolódico e Podzólico Vermelho Amarelo Equivalente EutróficoAbrúptico. O município possui menos de 100 metros de altitude.

O município de Ielmo Marinho possui 85,07% de seu território inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Potengi e 14,93% na bacia hidrográfica do Rio Doce, sendo banhado pela sub-bacia do Rio Potengi. Seus principais afluentes são o Rio Camaragibe e os Riachos da Telha, do Meio, Salgado e Pedra Branca. Não existem açudes com capacidade de acumulação igual ou superior a 100.000m, existindo como principais corpos de acumulação, as lagoas: da Jurema, Timbaúba, de Dentro, Capivara e dos Doidos. Todos os cursos d’ água tem regime intermitente e o padrão de drenagem é o dendrítico.

A distribuição da água é através do Sistema Adutor Agreste/Trairi/Potengi, que tem como objetivo o abastecimento humano e dessedentação animal. Também conhecido como Adutora Monsenhor Expedito, o sistema possui uma extensão total de 316 km, a captação da água é feita no Sistema Lacustre Bonfim, localizado no município de Nísia Floresta e possibilita uma vazão total de 452,32 l/s ou 1.628,35 m³/h.

Além da sede municipal, Ielmo Marinho conta com importantes distritos e comunidades, segundo o IBGE: Canto das Moças, Tamuatá, Quermissol, Papagaio, Riacho do Meio, Umari, Vila Marina, Riacho Salgado, Nova Descoberta, Chã do Moreno, Boa Vista, Espinheiro, Telha A e B, Oiticica, Alegria, Pororocas, Laginha, Serrote Coberto, Pacavira, Boa Esperança, Capivara, Fazenda Nova, Fazenda Potengi, Jacú, Assentamento Lagoa Nova I e II, Assentamento São Sebastião III, III e IV Assentamento Roseli Nunes, Ramadas I, II, IV e V, Marcoalhado II e III e Marighela.

Autor: Gustavo dos Santos Fernandes

Mobile Sliding Menu